quinta-feira, 26 de maio de 2011

GESTOR DE HOSPITAR

Grupo suíço confirma que será gestor do hospital da SOS Cárdio, de Florianópolis

Em visita do governador Raimundo Colombo, Clinique des Grangettes anunciou que também vai investir em complexo de 120 leitos na Pedra Branca, em Palhoça

Roberto Azevedo, Enviado Especial, Genebra | roberto.azevedo@diario.com.br

O conceito de bem-estar do paciente, que vai ao extremo de tirar a imagem sisuda de um hospital, será implantado em Santa Catarina com a chegada ao Estado do modelo de gestão suíço do Hospital Clinique des Grangettes, de Genebra, Suíça.

A informação foi confirmada à comitiva catarinense pelo presidente do conselho da instituição, Philippe Glatz, na quarta-feira, quando recebeu o governador Raimundo Colombo para um almoço.

Quem chega à clínica se impressiona com a harmonia dos ambientes, divididos por jardins e passeios. O conjunto de prédios, onde são realizados exames referenciais sobre o combate ao câncer de mama e pulmão ou cirurgias de alta complexidade e partos, por exemplo, está há poucos quilômetros do centro de Genebra, famosa pelos seus relógios de precisão.

Equipamentos de última geração garantem, na clínica, fundada em 1918, 85% de sucesso no tratamento do câncer de próstata e 60% quando a doença ataca os pulmões, sem a necessidade de cirurgias.

Aliás, o paciente não precisa sequer ficar internado, para realizar sessões de um mês ou 40 dias.

Esta excelência agradou ao governador Raimundo Colombo e entusiasmou o deputado Antônio Aguiar (PMDB), deputado estadual e médico, que acompanha a comitiva, apesar de suas especialização ser em ortopedia.

Com este cartão de visitas, Glatz confirmou que, até 2014, contribuirá na construção de um hospital-referência, com 120 leitos, na região da Pedra Branca, em Palhoça.

O suíço, que fala português e se diz apaixonado pelo Brasil, pretende passar temporadas no Estado para aliar negócios e, é claro, lazer.

Em outro anúncio feito na presença do governador catarinense, Glatz disse que uma estrutura denominada por Grangettes do Brasil Ltda será a responsável pela gestão do SOS Cárdio, de Florianópolis.

A empresa, segundo Glatz, será 100% brasileira e contratou profissionais de ponta na área de gestão hospitalar. O compromisso é desenvolver parcerias comn grandes hospitais suíços. O investimento será de US$ 60 milhões de dólares (quase R$ 100 milhões).

Nos bastidores, a informação que circula aponta a compra do SOS Cárdio pelo Grangettes. Segundo Colombo, o modelo europeu pode servir de exemplo para Santa Catarina.

O que diz o SOS

Luiz Carlos Juliano diretor-geral "Pela parceria, a Grangettes vai assumir a gestão e administração do hospital da SOS Cárdio, visando futuramente à construção de uma nova unidade em Palhoça. A Grangettes tem cem anos de experiência na área de administração hospitalar e a parceria se dará a partir da unidade brasileira, a Grangettes do Brasil. Se o governo tiver interesse em fazer uma parceira com o SOS Cárdio, vamos colaborar para atender as necessidades de atendimento hospitalar no Estado."